Category Archives: I can read

Aliceteração

Alice alivia os dias em livrarias onde escolhe livros de leituras leves. Levanta lívida, vívida, quase levitando, quase livre. Sai no limiar do dia apenas para ver os lírios no campo da imaginação. Quem vê Alice passar sem pedir licença, lépida e intrépida, não imagina as muitas vezes em que é tão leviana. Do linóleo não se lembra, pois não guarda lembranças do seu lado libertino em épocas já longínquas, menos lúdicas do que gostaria. Do limbo ao livre arbítrio, Alice alitera, sem literalidade ou propriedade, o significado da sua própria alienação.

Advertisements

1 Comment

Filed under Fricção, I can read

This

Leave a comment

Filed under I can read

Loneliness is what I got

Acordo as seis, espero o dia clarear na cama, abraço o cachorro, faço um cafuné no gato, rolo no meio dos pelos que ficam no lençol, levanto, tiro uma foto do céu alaranjado no horizonte, passo um café, acendo um cigarro, leio o reader, tento ler as notícias, posto uma bobagem qualquer no twitter, checo o que Susan Miller tem pra hoje. Então tomo um banho, penso nas coisas da agência, sem querer penso no que não quero (são os pensamentos invasivos, aprendi ontem na terapia), ponho uma roupa, seco o cabelo, passo um rímel, vou embora pro Real Parque. E tento escrever alguma coisa que reflita como são as minhas manhãs e então percebo que as noites também são quase sempre iguais e me pergunto até quando terei que enfrentar a rotina estabelecida tão somente porque vivo na solidão.

– É difícil ser sozinha, né Amber? – ela me perguntou ontem.
– É… às vezes dói mais que um pouco.

5 Comments

Filed under Alta Fidelidade, I can read

In peace we trust

Estou profundamente comovida com o final de 24 horas. Só nessa última temporada devo ter chorado umas 15 vezes. Imagino o tanto de lágrimas que me ocorreria se Jack Bauer fosse um cachorrinho fofo em vez de um ator altamente pegável. E pra quem acredita que events occur in real time, saiba que a cena em que Chloe O’Brian atira no Jack levou 12 horas para ser filmada.

Meus cumprimentos.

Leave a comment

Filed under I can read

Quando alguém escreve aquilo que você não sabe escrever

São poucos os blogs que ainda leio e quando vez ou outra me pego descobrindo alguns escritos que gostaria de tomar pra mim, é inevitável a madrugada em claro devorando vírgulas como se fossem os beijos dos primeiros meses de namoro.

Leave a comment

Filed under I can read

Prefiro contar o dia em pequenos capítulos. É difícil despejar tudo o que acontece de uma só vez. E tem os parágrafos. A gente nunca sabe ao certo quando é hora de dar enter e mudar o texto de linha. Decidi que eu preciso faezr um curso de redação para escrever mais com o cérebro e menos com o coração. Eu só quero alguma coisa que me ensine a viver livre outra vez. E eu sei. Eu sei que o problema é acertar o momento do enter pra mudra de parágrafo. Das poucas coisas que me lembro da infância, dois pontos, parágrafo e travessão é uma delas. Nos ditados das aulas do português que eu nunca entendi direito.

2 Comments

Filed under I can read

Tutorial: como aumentar em 400% as visitas do seu blog em apenas um post

– Encontre uma foto de alguém usando calcinha MUITO parecida com você;

– Poste essa foto no seu blog dizendo que ela vai estar na próxima edição de uma revista qualquer;

– Peça para dois amigos divulgar o link no twitter.

Prontinho. Terás mais de 500 visitas em um dia. Esse tutorial também pode ser usado para aumentar o número de janelas no seu gtalk/msn.

 

****
Desculpas sinceras azamiga que cairam na pegadinha. Mas olha, eu nunca disse que era eu, tá?
\o/

4 Comments

Filed under I can read